8 de março de 2008

Morrem os pássaros

- mas eu tentei te avisar a tempo, ama o vôo e ama a morte. O que aconteceu com teu canário já acontecia aos bem-te-vis e aos homens. É assim mesmo que deve ser. Escuta, pra onde caminham esses teus passos alucinados? Por que não páras? Isso é o medo de largar âncora no desespero? De te ver caminhar assim, sei que quem caminha é o horror. Eu já vi outros pássaros morrerem. Acredita, todos eles morrem. E morrem mais cedo esses de gaiola, tu devias saber. É a tristeza, eu acho, a solidão. Ou o desejo pelo horizonte - é o que pedem as asas, né? Não adianta que a natureza não cala: pássaro é para ser pássaro. Nenhum suporta muito tempo ser assim barrado, impedido. Logo aparece a morte sedutora cantando seu reino sobre o canto do pássaro, e ele porque não escolhe, se entrega. Então a morte devora mesmo, não pode ter piedade por ser morte. Ela cai pesadamente sobre o corpo e deixa que o corpo caia, consumido. Quanto te dói tudo isso? A morte à tua volta com uns olhos de pássaro e depois dela, um urubu que ainda vai te assombrar por quanto tempo? Toma, cobre a tua cabeça com este véu e assume a morte. Porque teu pássaro morreu e ele só cantava. Mas é assim mesmo, os pássaros morrem.

3 comentários:

Roner. disse...

Bom,primeiramente,parabéns pelo seu texto Cláudia!
Sendo a primeira vez que leio um texto com esse grau de entendimento,não sei bem como devo dar meu comentário,mas a meu ver, vejo uma pessoas explicando talvez de uma forma fácil de se entender a morte,que não podemos mudar oque vai acontecer, e como você diz "Morrem os Pássaros".

Otávio Machado disse...

A partir do momento que se é preso, se é preso por alguém, e este vira um determinante. Ele passa a controlar o que você pode e não pode fazer.

Homens tem opções, homens pensam e podem lutar pelo que pensam. Pássaros, em primeiro momento lutam, mas após isso se deixam levar.

De que vale o homem se é privado de seu direito de pensar/agir livremente? Nada, bem como um pássaro privado de seu direito de voar. É a ordem natural das coisas.

Quanto ao pássaro, ele fica sem escolhas. Se não pode voar, sua vida não tem mais sentido, e enfim ele morre.

O homem que não pensa também não tem sentido, senão a morte.

Ok, pensei em mais coisas só que não tou conseguindo pensar direito.

Gostei, gostei.

Só viajei bastante na maionese :P

Alana disse...

eh a vida...
ou melhor, eh a morte..hehehhee

mto bom, com uma sensibilidade ímpar
bjus